sábado, março 04, 2017

A janela bateu as asas esmaecidas de poeira
janela cega de horizontes
um pulo no infinito
sonho que desperta no granito.

Wilson Roberto Nogueira

Nenhum comentário:

Loading...