sexta-feira, setembro 11, 2015

Os mortais lamentam a escuridão que ameaça o sol
de suas vidas escorre gotas preciosas diante da sede de seus sonhos.
Raios que rasgam os céus das bocas com maldições cegas
enquanto rostos perdem-se na escuridão esplendida a velar precipícios
aguardando os primeiros trôpegos passos da desilusão
Reputam a planície  deserta um oásis de bastarda miragem sem sol
delírio ou horizonte mar de naufrágios a afogar na areia a utopia.

Wilson Roberto Nogueira

Nenhum comentário:

Loading...