sábado, novembro 22, 2008

Trechos traçados pela troça da traça nas pulverizadas folhas do saber ;
dentro da estante daquele que nunca leu :na taça dos sonhos despidos de explosões e calmarias
nas vivas vozes dos poetas mortos à copular celulose ,o apelo silêncioso ,leia, ate a tua reflexão de traça.

Wilson Roberto Nogueira

Nenhum comentário:

Loading...