terça-feira, dezembro 16, 2008

Minha pequena, perdoe-me essa deslembrança-Precária ponte enevoada sem corrimão;na desrazão da trilha cega; cego ou medroso não me ponho a caminhar nessas tábuas soltas, quebradas e de podres pisares, não me precipito a caminhar, mesmo havendo em seus olhos tanta luz e tanto calor que me bastariam para chegar a ti .Entretanto estaco, como uma estátua de sal ao lembrar por segundos o que o fogo dos céus é capaz de fazer com uma cidade de pecados.
Wilson Roberto Nogueira

Nenhum comentário:

Loading...