terça-feira, dezembro 23, 2008

Voa como um pássaro
o bravo peixe sonhador
penas que brilham ao sol,
como cristais simples escamas.
Simples delírio de um deus
pensando pescar nos olhos frios do peixe
as estrelas ocultas do mar.

O peixe de tanto fugir da fome do golfinho,
vôou, vôou tanto que esqueceu que era um peixe.

Em Kagoshima um fotógrafo sequestrou a alma do movimento.
Um peixe nadando no ar.

Wilson Roberto Nogueira

Nenhum comentário:

Loading...