quarta-feira, março 11, 2009

A flor de pétalas endurecidas
lhe causavam dor
meladas de amor
escuras e vencidas.

Pro alto até cair
Pro funda e quanto
mais
mais na vertigem
ge mia de rasgada
arre messada
sorvida dissolvida
em si só sóis de cores
entranhadas .
gelada tateava em finos
cacos de cristais
procurava mais
mais
dele não se lembrava mais
só a dor suor grudando
metal liquido
ela recebeu a língua dele
e vomitou Cointreau com holmops.

não se falaram
lençóis secaram.

O suor do sono soma vontades vorazes.

ela abrira as pernas para ser ouvida
mas os ouvidos eram cegos
e as almas bebadas demais
para cantarem...

Wilson Roberto Nogueira

Nenhum comentário:

Loading...