sábado, julho 31, 2010

Atravessa a calçada e, num passo apressado, a preço do tempo ,sufoca no garrote invisível da angústia. Corre e quase tropeça , esvai-se a vontade louca num banho de água gelada e suja, some a consciência e urra no tiro da noite. Silencio. Paz. Mais um morto. Nada. Mais uma bala perdida. de onde ,ninguém sabe e alguém quer saber. A vida segue.Antes ele do que eu!Será?

Wilson Roberto Nogueira

Nenhum comentário:

Loading...