segunda-feira, agosto 16, 2010

Ente etéreo flanando na névoa


estou fantasma de mim

o vento a vida me leva

as vezes sou eu que a sopra

para longe...

"Como era verde o meu vale "

Nada

como a cova que se abre

às nossas passadas

ditando o destino do nosso

derradeiro suspirar

Nada como a anciandade...

Wilson Roberto Nogueira

Nenhum comentário:

Loading...