domingo, agosto 08, 2010

Voltar para o útero da noite


entrando no maior número

de mulheres possível

para fugir do frio de existir



como um peixe perdido no lago



gozando o calor de viver amor

por breve brisa de fogo

O último suspiro do dragão

na lagoa da serenidade



Em volta a floresta de árvores negras

marcham e o Sol é vencido

restam a alva pedra dos ossos

mobiliando o piso das águas

sedentas por companhia.



Wilson Roberto Nogueira

Nenhum comentário:

Loading...